Arquivo da tag silvestres

Você Sabe a Diferença Entre Animal Silvestre, Doméstico e Exótico?

Tire suas dúvidas sobre a diferença entre Animal Silvestre, Doméstico e Exótico

Segundo o IBAMA (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis), órgão brasileiro que regulamenta entre outras coisas, a autorização de uso dos recursos naturais e à fiscalização, monitoramento e controle ambiental; os animais são subdivididos entre:

I – Animal Silvestre:

São aqueles pertencentes às espécies nativas, migratórias e quaisquer outras, aquáticas ou terrestres, que tenham a sua vida ou parte dela ocorrendo naturalmente dentro dos limites do Território Brasileiro e suas águas juridicionais.

  • Exemplos:

  • mico, morcego, quati, onça, tamanduá, ema, papagaio, arara, canário-da-terra, tico-tico, galo-da-campina, teiú, jibóia, jacaré, jabuti, tartaruga-da-amazônia, abelha sem ferrão, vespa, borboleta, aranha e outros cujo acesso, uso e comércio é controlado pelo IBAMA.


II – Animal exótico:

são aqueles cuja a distribuição geográfica não inclui o Território Brasileiro. As espécies ou subespécies introduzidas pelo homem, inclusive domésticas, em estado selvagem, também são consideradas exóticas. Outras espécies consideradas exóticas são aquelas que tenham sido introduzidas fora das fronteiras brasileiras e suas águas juridicionais e que tenham entrado expontaneamente em Território Brasileiro.

  • Exemplos:

  • leão, zebra, elefante, urso, ferret, lebre-européia, javali, crocodilo-do-nilo, naja, piton, esquilo-da-mongólia, tartatuga-japonesa, tartaruga-mordedora, tartaruga-tigre-d’água, cacatua, arara-da-patagônia, escorpião-do-Nilo, entre outros.

III – Animal doméstico:

são aqueles animais que através de processos tradicionais e sistematizados de manejo e melhoramento zootécnico tornaram-se domésticas, possuindo características biológicas e comportamentais em estreita dependência do homem, podendo inclusive apresentar aparência diferente da espécie silvestre que os originou.

  • Exemplos:

  • gato, cachorro, cavalo, vaca, búfalo, porco, galinha, pato, marreco, peru, avestruz, codorna-chinesa, perdiz-chucar, canário-belga, periquito-australiano, abelha-européia, escargot, manon, mandarim, agapornis, entre outros.

Fonte: IBAMA

FIQUE ATENTO, ANIMAIS SILVESTRES SÓ PODEM SER COMECIALIZADOS COM AUTORIZAÇÃO DO IBAMA

Mas sabendo que existem muitos animais DOMÉSTICOS que precisam de nossa ajuda, em abrigo,s abandonados, sempre resta uma pergunta: “Para que comprar um animal silvestre?”

ANIMAIS DOMÉSTICOS SÃO BONS BICHOS DE ESTIMAÇÃO

ADOTE UM ANIMAL QUE PRECISA DE VOCÊ. E lembre-se de que animais adultos também são ótimos animais para serem adotados

Feedback De Uma Aula Virtual de Comportamento de Papagaio

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

 

Após a aula virtual eu envio um email pedindo um feedback da família. Esse foi de longe um dos melhores que eu tive, emocionante e de arrepiar. O comportamento do papagaio melhorou, mas parece que a família realmente ficou feliz. Muito obrigado por essas palavras tão bonitas.

 

Yuri,não sei se vc está online.Demorei para responder seu email,mas não esqueci.

Tudo com o Tutti está melhor!
Os ataques cessaram,nossa consciência em relação ao nosso comportamento,mudou bastante.

Sem a sua aula,nada disso seria possível!

Se vc quiser saber de mais alguma coisa,estou à disposição.

Admiro demais seu trabalho.Te desejo muito sucesso.

Ajudar os animais é maravilhoso.

De quebra,acaba ajudando tb os seres humanos…

Fique tranquilo,está tudo certo.Seu trabalho para nós foi muito útil.

Com sua experiência e dedicação em cuidar dos animais,tenho certeza que muitos tem vivido bem melhor

.

reaproximação

reaproximação

Qualidade de Tempo Com Seus Animais / Quality Time When You Are With Your Animals

Treino de animais depende de tempo de qualidade com eles

Treino de animais depende de tempo de qualidade com eles

Hoje em dia com nossas vidas conturbadas, filhos, trabalho, estudos, tudo junto misturado, é melhor escolher passar tempo de qualidade com nossos animais do que passar muito tempo e sem qualidade alguma. Muitas pessoas nos perguntam como conseguimos ter animais tão mansos e treinados na BEAnimal. A Dica é: Passamos tempo de qualidade com eles, fazemos sempre estímulos mentais quando estamos juntos e damos oportunidades de desenvolverem seus comportamentos naturais. Sempre que vamos passear levamos a comida e a água de todos eles para garantir o bem-estar animal e os treinos desses animais é feito sempre com muito reforço positivo, seja em forma de estímulos primários ou secundários. (adestramento de animais , Quality time When You are with your animals)

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

Nowadays, with our crazy life, kids, working, studing, everything put together, no time at all for us, it is better to choose having quality time with our animals than quantity of it and no pleasure between you and your animals. People keep asking us how do we keep so many animals trained and tamed with us, the tip is quite simple: We spend quality time with them, we always give them proper mental stimuly and the choice of displaying their natural behaviors with us. For their time walking on the streets or the beach with us we always take their food and fresh water to assure their animal welfare. The training sessions are kept with lots of positive reinforcement (primiries and secudaries).

Training an animal should be followed by a professional, always use positive reinforcement ! Tranining your bird is easy, we can teach you. Get in touch with us, make an appointment for a class.

Bubu está de Volta! Bubu is back

Sábado de carnaval voltando para casa a tarde para cuidar dos animais, muitas horas sem dormir, cansado de andar atrás de blocos e mesmo assim a cabeça a mil por hora dentro da condução que eu estava, sem cochilos para mim. Passei pelo lugar onde tive a última notícia da Bubu e pensei “Por favor meu Deus, que o criador da Bubu esteja errado e ela conseguiu comer, ou que tenha achado uma família que ame ela tanto quanto nós amamos ou ainda se ela morreu, que o período que passou viva tenha servido para ela poder cumprir alguma missão na terra. Obrigado pelo tempo que passou comigo e por ter me mostrado quantas pessoas seguem a BEAnimal e torcem por nós”. Continuei para casa arrumei os animais aqui, passei um tempo com eles, curti um pouco as crianças, tomei um banho e voltei para os blocos de carnaval da zona sul, mais algumas horas sem dormir, mas com amigos queridos e que cuidam de mim quando a tristeza aperta.

Acordamos depois do planejado, não fomos no bloco da manhã, só por hábito fui responder alguns emails da empresa, também interagir com o pessoal do facebook, tentar seguir a rotina mesmo sendo feriado. No meio de um email importante recebi uma ligação: “Oi, é a respeito de uma coruja…”, “Senhor, qual o tamanho dessa coruja?” “Ela é grande, está voando baixo e chorando o tempo todo, já faz uns três dias, dá até para ver a anilha dela”. Coração na boca, tensão, boca seca. A Bruna (razão do nome da Bubu) sugeriu que eu ligasse para outra amiga que mora perto de casa e trabalha com animais silvestres para ir antes lá enquanto eu me encaminhava até o local. A Gabriela animou-se, conseguiu uma codorna, um puçá e foi atrás da Bubu. Ao chegar no local pode me ligar e confirmar: “Yuri, é a Bubu, estou vendo ela.

Foram duas horas de ônibus e trânsito para chegar em casa, coração batendo apertado, lágrima nos olhos e muita oração: “Meu Deus, obrigado por me mostrar que ela está viva, obrigado por cuidar dela, por favor que o anjo da guarda dela e o meu possam conversar e fazer o que seja o melhor para nós dois, São Francisco de Assis, obrigado por cuidar dela, por favor, se puder fazer ela voltar pra casa eu agradeço muito”.

Cheguei em casa, peguei o carro, saí correndo e fui ao encontro delas, da Gabi e da Bubu. Espero que todos possam ter amigos assim que param a vida, param de trabalhar, param um domingo de carnaval para poder te ajudar só pra te ver feliz! Era ela, estava no topo de uma mangueira, uns 7m de altura. Nem toda meu treino circense ia ajudar aquela hora.

Segundo a inicação do criador eu deveria amarrar a codorna pelas patas fixar ela numa poita e esperar a Bubu descer, agarrar a codorna e antes dela conseguir levar o bicho eu pulava em cima. Entrei numa crise vegetariana: “Senhor, eu sei que é a natureza deles e sei que em casa eles comem animais mortos, mas eles chegam mortos lá, eu gostaria muito de que não fosse preciso eu ver essa cena aqui e que a Bubu erre a codorna e acerte minha mão enquanto eu chamo ela, se isso for possível eu juro que adoto essa codorninha para nossas aulas e apresentações didáticas com as crianças”. Contrariei o criador e fiquei com a codorna na minha mão tentando chamar a atenção da Bubu, o que de fato era efetivo, ela fazia menção de descer, olhava para o lado e se distraía com uma folhinha… Nada de Bubu descer por algumas horas.

Os vizinhos ansiosos, eu ansioso, todo mundo ansioso, menos a Bubu! Um dos vizinhos simpáticos achou uma gregópila (a bolota que a coruja regurgita de coisas que não digeriu da presa) embaixo do galho que ela estava, tinha fezes também, opa, ela realmente está caçando, era um pombo! O improvável aconteceu! Um bebê de 3 meses caçando sozinha! Seria mais difícil ainda fazer que ela voltasse para mim segundo o criador. Não está com fome, não tem interesse em voltar, e não foi nem treinada para isso. Bateu uma tristeza imensa mas a fé foi maior!

Um dos vizinhos simpáticos serviu como militar na amazônia e sabia fazer algumas técnicas de captura de animais, sugeriu um bambu maluco com uma ponta de Nylon e realmente parecia que ia funcionar, uma ponta de esperança. O amigo dele subiu na mangueira escorregadia e eu dizendo: “Amigão, prefiro a coruja solta do que causar a morte de alguém!!!” o Alexandre já estava em cima da árvore com a geringonça na mão e conversando com a Bubu com o maior carinho do mundo. E eu pensando: “Anjo realmente tem um monte de caras, obrigado Senhor por me cercar de pessoas boas e bem intencionadas”. Quando ele conseguiu chegar perto dela com o laço: um voo dela e meu coração saindo pela boca. Parou em cima de um telhado próximo à árvore. A vizinha estava lá e me deixou entrar sem nem perguntar meu nome, segui um dos senhores que estava me ajudando, ele colocou a escada, subi no telhado sem codorna, sem nada, só munido de esperanças e quando ela me viu abriu as asas e voou na minha direção! Acho que me emocionei nessa hora e fui tentar pegá-la em voo e ela desviou, parou numa árvore em frente ao telhado. Lágrima no olho, dessa vez de felicidade por eu ter sido reconhecido depois de 23 dias de sumiço.

Me ajustei no telhado, o Alexandre trouxe a codorna, ficamos frente a frente, Bubu, eu e a codorna. Eu colocava a codorna mais pra frente no telhado, balançava ela gentilmente pela cordinha, a Bubu olhava, piscava e cochilava. Entre um cochilo e outro eu colocava a codorna no colo, fazia carinho e pedia desculpa pra ela. O bichinho ficava em pé e bicava meu braço fazendo carinho, ajeitava as penas, cuidava do casaquinho de penugem e deitava na minha mão. Eu pensava: “Senhor, faça a morte desse bichinho ser o mais rápido possível e se Ela sobreviver eu vou adotá-la”.

Meia hora, Bubu cochilava, acordava, me via, balançava a cabeça animada, eu balançava a codorna e a Bubu voltava a dormir. Deixei a codorna no meu colo aninhada e comecei a conversar com ela alto em voz animada, fazendo festa: “Ahhh, fica aí né, dormindo de manhã, na farra a noite toda! Isso é vida pra levar? Parece o papai no carnaval! Toma jeito (batia palmas)! Vamos pra casa minha filha, já está na hora de acordar, são cinco da tarde agora! Vambora! (palmas)…” Ela entrou na festa que eu estava fazendo, saiu do galho voando na minha direção novamente. Eu controlei a emoção de vê-la ao alcance do meu braço: “Oi minha filha, vamos pra casa” rapidamente dei um bote e a peguei pelos pés.

Os vizinhos da casa ao lado batiam palmas, eu só conseguia abraçar ela chorar e: “Acabou minha filha, obrigado por ter voltado”, ela chorava e fazia carinho com o bico no meu rosto como fazia aqui em casa.

Rastejei pelo telhado com a Bubu e com o Zóio (nome da codorna que a Gabi batizou). Passei eles para os senhores que estavam me ajudando, desci pela escada e só consegui abraçar eles… Encontrei com a dona da casa e ela: “Coruja é meu animal preferido”. Acho que fiz bons amigos.

Coruja é meu bicho preferido

Coruja é meu bicho preferido

Estamos em casa, agradeço todos vocês mais uma vez pelo carinho e fé que tiveram por mim nos momentos de tristeza. Foram mais de 200 mensagens que recebi ao todo de pessoas do mundo todo (sim, MUNDO) de pessoas que eu nem fazia ideia que nos acompanhava. foram mais de 15.000 pessoas atingidas pelo facebook segundo nossas estatísticas, tivemos 20% dos nossos seguidores interagindo conosco nesse período. Além das visitas no site aumentando.

Hoje eu posso dizer que realmente Deus está no comando e ele sabe o que fazer e a hora de fazer. Graças a essa fuga eu tive noção de quantas pessoas REALMENTE nos seguem, quanta energia positiva é depositada em nós diariamente mesmo que não haja interação entre vocês e nós! Percebi que a responsabilidade da BEAnimal é muito maior que eu imaginava e que de fato somos queridos. Saí de um momento que eu me achava só para ter a CERTEZA de que estou acompanhado de todos vocês, pessoas incríveis que deram minutos, horas, pararam suas vidas para nos mandarem palavras de conforto, orarem por nós e o que eu tenho a retribuir é:

Funcionou! Vocês trouxeram a Bubu de volta de um jeito mágico, mas o mais importante, vocês trouxeram uma fé vibrante, incandecente e fervorosa de uma forma que eu nunca tinha vivenciado antes. O poder da pedido em grupo por um único objetivo foi lindo.

OBRIGADO A TODOS da minha família BEAnimal.

Acho que fiz bons amigos

Acho que fiz bons amigos

Esperança de Achar a Coruja Bubu/ Still some hope to find Bubu, The Owl

Cinco dias após a coruja Bubu (Bubo virginianus) se perder durante uma tempestade no Rio de Janeiro, quando um galho arrebentou a tela do viveiro dela tivemos uma ponta de esperança de achar nosso querido animal. (Still some hope to find Bubu, the owl)

Eu deveria estar jantando com um amigo na Zona Sul no dia 02/02/2013, mas por alguma eventualidade do destino não pude ir. Sem chateações, amigos são pra essas coisas, marcamos e desmarcamos compromissos com naturalidade e sem pressão. Optei por ir fazer compras com uma outra amiga que eu sabia que estaria no mercado. A mesma amiga que me inspirou para dar o nome da Bubu porque são muito parecidas.

Durante as compras recebi o convite para ir tomar um lanche com a família dela que eu não via fazia algum tempo. Já era tarde, aceitei com ressalvas de já terem comido ou estarem dormindo, mas toda a família estava acordada.

Sempre agradável estar com essa família maravilhosa que me acolheu tão bem no RJ. Mas hoje eu estava com muito mais sono do que o normal. Quando o relógio deu meia noite e eu virei abóbora sentado na mesa de jantar resolvi pegar minhas coisas e ir para casa. A Bruna tentava me falar algo sobre fantasia e blocos de carnaval, eu só conseguia pensar na minha cama, no espaço que me separava dela e em não dormir no volante; saí sem prestar muita atenção.

Dezoito andares para baixo e 500 m para chegar no meu carro foram o suficiente para o telefone receber uma mensagem da Danielle: “Yuri, não tenho ficado em casa, mas pedi para o meu pai ficar de olho na Bubu para mim, Ele disse que o dono do bar comentou com ele hoje que tem uma coruja rondando a área faz três dias”.

“Ok Dani, mas é uma coruja muito grande, a casa do seu pai fica distante 5km da minha casa, é bem improvável, mas estou no caminho, passarei lá pra olhar”

“Estou acordada, passa aqui e vamos juntos, de repente o bar está aberto.”

Nos encontramos, fomos até o bar e estava fechado, de madrugada… improvável qualquer notícia da Bubu aquela hora, mas… já estávamos ali e resolvemos passar pela rua do bar olhando para as árvores.

Uma noite de calor, sem sinal de chuva mas com alguns relâmpagos, talvez esse fosse um sinal de que fosse chover… mas cadê as nuvens? Uma família estava sentada à beira da calçada, pareciam simpáticos e sorridentes. Optamos por parar e perguntar: “Oi, nós trabalhamos com animais e educação ambiental com crianças, um dos nossos animais fugiu, uma coruja…” os olhos brilharam, se entreolharam, sorriram: “Nossa, ela estava aqui no poste de luz de casa algumas horas atrás, voou naquela direção”.

Incrédulo eu mostrei o tamanho da coruja: “Ela é desse tamanho, tem certeza?”. Enquanto procuravam confirmação entre eles a filha lembrou: “Mãe, tiramos uma foto”, meu coração palpitou, talvez fosse mesmo, e eu teria uma prova.

Bubo-viriginianus Reacende a esperança de achar a Bubu, foi vista num bairro aqui perto por três dias consecutivos.

Bubo-viriginianus Reacende a esperança de achar a Bubu, foi vista num bairro aqui perto por três dias consecutivos.

Era ela! improvável ser outro animal dessa espécie na região, e a confirmação veio pelo vovô que estava na roda de pessoas: “Meu filho, eu moro aqui há 50 anos, nunca vi um bicho desse”.

A Dani e eu optamos por andar um pouco pela região e conversar com as pessoas: “Oi, tudo bom? Nós trabalhamos com animais… Nossa coruja desse tamanho fugiu, você viu por aqui?” nenhuma resposta positiva e saíamos andando, olhando pra cima e conversando. Imagino o que se passava na cabeça das pessoas: “Meu Deus, que drogas eles usaram? Coruja desse tamanho? Perdida? Eles acreditam mesmo, olha lá, andam olhando pra cima e tudo”. Ossos do ofício passar eventualmente por essas situações e levar alguns amigos nesses barcos furados.

Infelizmente não encontramos a Bubu, mas tivemos uma luz e uma confirmação visual de que está viva até hoje e pode ser que volte para nós.

O curioso para mim foi a sequência de fatos:

1. Eu deveria estar na zona sul e não fui
2. Eu deveria ter feito mercado a tarde e não fiz
3. Aceitei um convite para tomar lanche de madrugada e estando cansado, não é do meu feitio
4. A msg chegou a hora que eu entrei no carro
5. Eu estava no caminho da casa da Dani quando descobri que a Bubu tinha sido vista a noite.
6. Mesmo com o bar fechado decidimos parar.
7. com tantas pessoas na Rua decidimos parar e perguntar para as que tinham fotografado o animal.

Se ela voltará ou se foi só uma maneira de Deus mostrar que ela está bem, não sabemos! Mas qualquer uma das opções eu estou momentaneamente satisfeito.

Obrigado a todos por estarem torcendo para encontrarmos nossa coruja linda, a Bubu.

Arara mais velha adotou bebê / Older macaw adopts a baby one

Quando criamos animais da forma correta, oferecendo carinho, atenção, limites e educação, quando eles crescem podem se tornar ótimos aliados na criação de outros animais. Aqui o Rui, (Ara ararauna) uma arara de sete anos de idade adotou o Nando uma arara vermelha (Ara chloroptera) bebê. (Older macaw adopts a baby one)

O Rui passa horas do dia cuidando das penas do Nando e duas vezes por dia ele regurgita para o bebê se alimentar.

Toda aproximação de animais deve ser feita de forma cautelosa e de preferência acompanhada por um profissional.

Se a aproximação for feita de forma errada pode ter desfechos trágicos, por exemplo um animal mutilando o outro (arrancando penas, bico, dedos, ou causando cegueira).

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

When we raise animals the right way, offering affection, attention, education and limits by the time they grow up they can become great allies raising other baby animals. Here this Blue and gold macaw, Rui, ( Ara ararauna ) a seven-year-old macaw took the responsability of feeding this Green winged macaw Nando (Ara chloroptera) baby.

Rui spends hours every day taking care of Nando’s feathers and twice a day he regurgitates food for the baby.

Any animal approximation should be done cautiously and preferably with a professional together.

If the approximation goes wrong, it could become tragic, e.g. an animal mutilating the other (plucking feathers, beak, fingers, or causing blindness).

Blue and gold macaw with a greenwinged / Arara canindé com arara vermelha

Quando criados com carinho e da forma certa os animais mais velhos pode ajudar na criação de bebês.
When raised in the right way, with lots of love, limits and education older birds can help raising other babies.

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

Treinar para Voar / Training to Fly

Os bebês de aves tem que treinar para voar. O voo das aves é uma característica natural, como é andar para nós, mas um exímio corredor tem que treinar muito para fazer uma linda corrida, assim como uma ave tem que treinar muito para voar. (Training to Fly)

Os bebês de araras e papagaios passam em seu segundo até o terceiro mês de vida fazendo isso. É uma fase que eles não engordam muito por mais que comam e chegam até a refugar muita comida, o peito deles fica com uma forma de quilha de barco e eles ficam batendo asas por bastante tempo. Nessa fase acontece o desenvolvimento da musculatura de voo. Quem tem esse tipo de bebê em casa e deixa suas asas completas, sem aparar as penas eventualmente se depara com a situação do animal parecer um helicóptero, batendo asas e levantando voos curtos na vertical. Eventualmente colocam seus rostinhos nos travesseiro, cortina, almofada e batem asas de outra forma em outro ângulo. Isso faz parte do treino. Deixar que a ave execute seus comportamentos naturais o máximo possível quando vive em cativeiro ou com uma família humana faz parte dos cuidados com o bem-estar animal.

Então eles começam a arriscar pequenos voos, e se forem criados da maneira correta esses voos serão em direção à cabeça ou braço dos tutores humanos. Nessa fase a família e o animal descobrem um fato bem interessante: “Subir é fácil, voar para baixo exige técnica”. Da mesma forma que quando observamos um bebê andando descobrimos que correr sem coordenação é mais fácil do que controlar os passos e andar calmamente. Tudo nessa vida depende de treino, nós é que eventualmente não vemos isso por ser um processo natural.

Muito cuidado quando for deixar as asas da sua ave sem aparar, é um assunto bem delicado e deve ser discutido com um profissional qualificado.

Aproveite essa fase de desenvolvimento do seu animal, é uma idade que ele se encontra bastante acessível a receber carinho e atenção. Manipular ele da forma correta e fazer os reforços da melhor maneira no melhor momento garante uma relação harmoniosa duradoura e feliz durante uma vida toda.

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

Baby birds must train flying skills. Bird flight is a natural feature, such as walking for us, but an accomplished runner has to train hard to make a beautiful race, just like a bird must train hard to fly.

Macaws and parrots babies start training session on their second or third month of life. It is a phase when they do not get fat no matter how much they eat and they even refugar much food, their breasts get a shape of a boat´s keel and they are flapping wings for long periods of time. In this phase there is a muscle development. Who has this kind of baby at home and let its wings unclipped, eventually faces the the animal looking like a helicopter, flapping and lifting vertically short flights. Sometimes they put their little faces in pillows, curtain, cushion and flap wings otherwise in another angle. This is part of the workout. Allowing the birds to perform their natural behaviors as possible when living in captivity or being part of the human family is a important piece of keeping the animal welfare garanteed

Then they start to risk small flights, and if raised in the right way these flights will be toward the head or arm of the human tutors. At this stage the family and the animal discover a very interesting fact: “Up is easy to fly, comming to lower places demands technical skills.” Just like when we see a human baby walking and figuring out that running without coordination is easier than controlling the steps and walk quietly. Everything in life demmands on training, probably we may not realize it because it is a natural process.

Be very careful when you leave your bird without trimmed wings , this is a very delicate issue and should be discussed with a qualified professional.

Enjoy this development stage of your pet, it is an age they are very into receiving care and attention. Handle it the right way and do the best reinforcements at the best time for sure it ensures a harmonious relationship lasting and happy for a lifetime.

Veja como se exercita

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

Brinquedos e Segurança / Toys and Safety

Nada como passar um natal com crianças para repensar a relação entre brinquedos, crianças, animais e SEGURANÇA. Meu afilhado recebeu de presente do pai um carrinho que desmontou em cinco minutos e se transformou em uma ameaça à saúde da criança, paz e bem-estar da família. A rodinha poderia ter sido engolida, aspirada ou qualquer outro desastre semelhante, a haste que faz o eixo que essa roda saiu eventualmente poderia furar um olho ou causar qualquer dano na criança, ou adulto que pisasse em cima do brinquedo. (toys and safety)

Com animais é exatamente igual. O bem-estar animal deve ser garantido mantendo eles longe de dor, inclusive as causadas pelos brinquedos mal adaptados aos animais.

Já tive a experiência (horrível diga-se de passagem) de ter que ajudar um veterinário amigo a tirar um Guizo que ficou preso no bico de um papagaio. Outra amiga minha veterinária chegou em casa e a pirrura dela estava pendurada pela língua também em um guizo, já tive o desprazer de ter que retirar linhas que estavam gangrenando os dedos de um outro papagaio de um aluno…Esses dias uma outra amiga veterinária teve o desprazer de constatar através de exames de imagem que um golden retrivier de uma cliente estava comendo as tampas de garrafas pet dadas para brincadeiras e quase morreu por isso. Temos que pensar em Segurança quando oferecemos brinquedos aos nossos filhos e aos nossos animais.

GUIZO / FISHING RATTLER

Já tive a experiência (horrível diga-se de passagem) de ter que ajudar um veterinário amigo a tirar um Guizo que ficou preso no bico de um papagaio. /I’ve had the experience (horrible by the way) of helping a veterinarian friend to take a fishing rattle that got stuck in the beak of a parrot.

Todos esses maus momentos acontecem por um motivo: Desatenção dos tutores. Sejam tutores de crianças ou de animais.

Alguns dos males não acontece na hora e eventualmente não associamos aos verdadeiros vilões da história. Por exemplo brinquedos coloridos por tintas cancerígenas ou mesmo anilinas que podem deixar os animais doentes. Temos que entender que nem tudo que é saudável para o ser humano é saudável para os animais, principalmente aves.

Como solucionar esse problema? Confie numa marca só. Evite misturar marcas das coisas. A medida que você passa a confiar em uma única marca você está protegido pelo seu bom senso, ou do veterinário que indicou a marca.

Pense sempre que brinquedos seguros foram feitos pensado para o animal em questão ou criança. Ele deve ser testado e vir garantido por especialistas na área.

Dicas do que evitar:

  • Arames finos
  • guizos
  • couro
  • madeira pintada
  • fechos que sejam frágeis para o animal/criança que temos em casa
  • estruturas metálicas (sinos, fechos, correntes, etc) que são cobertas com níquel-cromo e podem descascar e intoxicar seu animal/criança
  • estruturas metálicas de alumínio, cobre ou outros metais perigosos caso sejam ingeridos.

Cuidado!!!! A vida do seu animal ou da sua criança pode estar em perigo, pense SEGURANÇA ao oferecer brinquedos para eles.

 

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

Nothing like spending Christmas day with children to rethink the relation between toys, children, pets and SAFETY. My godson received gift from his father: a car that was thorn apart in five minutes and had become a threat to children’s health, peace and well-being of the family. The wheel could have been swallowed, inhalleted or any other similar disaster could have happened, the stem axis that holds this wheel could possibly stick out in the eye or cause any other damage to the child or adult who stepped up the toy.

With animals is exactly the same. The animal welfare should be guaranteed by keeping them away from pain, including those caused by non adapted toys for animals.

I’ve had the experience (horrible by the way) of helping a veterinarian friend to take a fishing rattle that got stuck in the beak of a parrot. Another veterinary, friend of mine, came home and her pirrura´s tongue was trapped on the fishing rattle ant it was hanging there for hours almost dead. I’ve had the displeasure of having to draw lines that were tying up its fingers of another student´s parrot… Around these days another veterinary, friend of mine had the displeasure to see through images examinations that a golden retriever from a customer was eating the pet bottle caps, it was given as toys and the dog almost died because of it. We have to think about security we offer toys to our children and our pets.

All these bad times happen for only one reason: Inattention tutors. Be carefull with our children or animals, please.

Some of these bad things doesn´t happen on time and possibly we do not associate them with the real villains of the story. For example colorful toys for cancer or even anilines that can make animals sick. We must understand that not everything that is healthy for humans is healthy for animals, especially birds.

How to solve this problem? Trust in a brand only. Avoid mixing brands of things. As you begin to trust one brand you are protected either by your good sense, or the veterinarian´s who had indicated the brand.

Think always that safe toys were made for the individual animal or child. It must be tested and come guaranteed by experts.

Tips to avoid:

  • Thin wires
  • Fishing rattles
  • leather
  • painted wood
  • fasteners that are fragile to the animal / child have at home
  • metal structures (bells, locks, chains, etc.) that are coated with nickel-chromium and can peel and intoxicate your pet / child
  • metallic structures of aluminum, copper or other metals are dangerous if ingested.


Beware!! The life of your pet or your child may be in danger, think SAFETY by providing toys for them.

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

Hidratação E Regulação de Temperatura em Aves / Hydration and Temperature Regulation in Birds

A hidratação da sua ave nesses dias de calor é muito importante. Além dos banhos regulares para que façam a regulação da sua temperatura. Esses animais desidratam muito facilmente e precisam estar sempre bem hidratados. Alguns animais tem sua principal fonte de água proveniente dos alimentos, como é o caso da maioria das aves de rapina. Isso não significa que eles não devam ter acesso livre à água. Quem já teve contato com aves de rapina sabe como eles gostam de tomar banho. (hydration and temperature regulation in birds).

Hoje com a chegada dos novos animais rapinantes da BEAnimal estamos nos empenhando mais no contato com eles e pesquisando com especialistas a melhor maneira de criá-los. Conversando com um fera no assunto, Fredderick Pallinger , falcoeiro há anos e criador desses animais lindos, ele contou que antigamente era hábito, em dias de calor, cuspir água nos pés das aves de rapina para diminuir a temperatura deles (ugh). Conversando com a veterinária Dra. Eliane Jessula, descobrimos que esse hábito não é saudável para os animais por conta de um fungo que convive bem conosco (cândida) mas não convive tão bem com aves, que em caso de contaminação e baixa imunológica dos animais eles podem ir a óbito. Por essa razão hoje em dia os falcoeiros competentes levam um borrifador para o campo em dias de calor e quando suas aves estão com a temperatura muito elevada somente borrifam a água nos pés dos animais, BEEEEM MAIS INTELIGENTE E LIMPO NÉ?

Mesmo que as aves de rapina tenham sua principal fonte de água nos alimentos esses animais devem aprender a tomar água limpa de alguma outra fonte em cativeiro. Nós da BEAnimal estamos ensinando a Isabel a tomar água no bico. Isso facilitará oferecer remédio caso um dia ela fique doente. A posse responsável de animais e o bem-estar animal são garantidos quando pensamos antes e nos preparamos para o futuro deles em todos os aspectos.

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS.

The hydration of your bird in these hot days is very important. In addition to the regular baths so it can regulate its temperature. The dehidration of these animals happens very easily therefore they always need to be well hydrated. Some animals have their main source of water from foods, as is the case with most raptors. That does not mean they should not have free access to clean water to drink. Anyone who has had contact with birds of prey know how they like to bathe.

Today with the arrival of new birds of prey from BEAnimal we’re looking more information with experts, finding the best way to create them. Talking to an ACE on the subject, Freddy Pallinger , Falconer for years and breeder of these beautiful animals, he said it was a habit, on warm days, spitting water on the feet of birds of prey to lower their temperature (ugh). Talking with veterinary Dra. Eliane Jessula , we find that this habit is not healthy for the animals because of a fungus that lives well with us (candida) but not so well with birds, which in case of contamination and lowing their immune sistem, animals they can dye. For this reason, nowadays, says Freddy Pallinger, competent falconers take a spray bottle to the field on hot days and when their birds increases temperature they will only spray water on the feet of animals, verrrrry SMARTER AND NEATER, right?

Even the birds of prey having their main source of water in food, these animals must learn to take clean water from some other source in captivity. We are teaching the BEAnimal hawke Isabel take water in its beak. This will facilitate to provide medicines if one day she gets sick. A responsible pet ownership and animal welfare are secured when we think and prepare for their future in all aspects.

Isabel Bathes / Banho da Isabel

Um dia de sol, calor e um banho gostoso na Isabel. Sunny and hot day and a delightful bath with Isabel hawk.

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

  • RSS
  • Newsletter
  • Twitter
  • Facebook
  • Flickr
  • YouTube