Arquivo da tag Dicas

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

Há uma enorme luta entre os amantes de animais e outros seres humanos que não gostam tanto deles quando o assunto diz respeito a agressão de uma determinada raça de cão para com as pessoas. Algumas raças são mais conhecidas pelo seu carinho, outras por suas habilidades de caça e outras ainda por episódios de agressão territorial ou por serem cães de briga. Isso não significa que cada uma de todas raças que conhecemos ou mesmo um certo indivíduo não possa aprender ou desenvolver todas estas tendências.

Sendo um defensor dos animais e pesquisador de comportamento fico sempre muito interessado em ver como as capacidades de aprendizagem podem substituir instintos. Sou muito requisitado para ajudar as famílias com seus poodles agressivos ou yorkshires que acabam ficando muito bravos. Estes são animais conhecidos por excelentes raças de cães companheiro, no entanto, eles se tornam animais furiosos quando, sem querer, suas famílias humanas os ensiná a agir assim (mesmo que sem querer).

Um grande amigo tem um pit bull e ambos (humano e cão) compartilham gentileza, cuidado com os que estão por perto deles e tem uma facilidade de serem amigos de desconhecidos fora do comum, são dois seres muito tranquilos de ser lidar.

E meu outro amigo é dono de um rottweiler fêmea, ela odeia quando alguém agarra as patas dianteiras dela, e mesmo que o seu conselho de manter distância das suas mãos seja um rosnado forte, ela respeita alguém que, eventualmente, tenta acariciá-la lá. E este mesmo cão adora brincar com as crianças, eu tive a chance de gravar essas imagens bonitas.

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

Então, eu fico pensando como a evolução fez os seres vivos tão especiais, dando-nos todas as chances de colocar nossos instintos animais de lado e aprender outros comportamentos possíveis com o ambiente em que estamos inseridos. Está em nossas mãos criar cães e crianças emocional e mentalmente equilibradas, é apenas uma questão de tempo e investimento em educação.

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

There is a huge struggle between animal lovers and other human beings when the issue concerns aggression from a certain dog’s breed toward people. Some breeds are better known by their affection, some by their hunting skills and others by territorial or fighting aggression episodes. That doesn’t mean every breed or individual dog can’t learn or develop all these tendencies.

Being an animal defensor and behavioral researcher I’m very interested when I can see how learning capabilities can overwrite instincts. I’m very used to help families with their aggressive poodles or yorkshires. These are animals known by terrific companion dog breeds but nevertheless they become furious beasts when, unwillingly, their human families teach them to act like that.

A very good friend of mine has a pit bull and both of them (human and dog) share a lot with the world they are kind, gentle and easy going.

And my other friend owns a female rottweiler, she hates when someone grabs her front paws, and even though her advice to keep away is a rough growling she respects anyone who eventually pets her there. And this very same dog loves playing with children as I had the chance to record these beautiful images.

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

So I keep thinking how evolution made live beings so special by giving us all the chances to put our animal instincts aside and learn other possible behaviors with the environment we are settled in. It is in our hands to raise dogs and kids emotional and mentally balanced, it’s just a matter of time and education investment.

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

Instinto X Aprendizagem, Raças de Cães Agressivos e Crianças / Instinct x Learning, Agressive Dog Breeds and Children

Nivea Stelmann, Mario Frias, Ju Camatti Frias, Miguel e Laurinha: Família Querida Com Nossos Animais

Em 2010, mais precisamente dia 14 de setembro, conheci uma família muito especial. A Nívea, o Mário, a Ju e o Miguel. O garoto ainda tinha 6 anos e já era um exemplo de educação conosco e o carinho que ele teve com nossos animais foi impagável. Durante esses três anos trocamos alguns tweets, curtidas de fotos no instagram principalmente da Laurinha agarrando os bichos, ficamos indignados com animais abandonados pelo facebook e mantivemos um contato virtual bastante direcionado para o carinho que todos nós temos pelos animais. (Nívea Stelmann, Mario Frias, Ju Camatti Frias, Miguel e Laurinha Família Querida Com Nossos Animais)

No dia 11 de setembro desse ano, 2013 nós nos reencontramos todos para fazer uma surpresa para o Miguel. Nossa nova apresentação didática com nossos animais no aniversário dele! Em um encontro de última hora quando fui dar os parabéns pela gravidez anunciada da Nívea, decidimos que nos reencontraríamos no aniversário do Miguel! Em menos de uma semana ajeitamos tudo sem ele saber da surpresa que seriam os animais na festa dele.

Nos encontramos na casa de festas “Galaxia Kids”, aqui no Recreio dos Bandeirantes, Rj, combinamos quem ia fazer as participações na nossa apresentação, e quando encontrei o Miguel o olho dele brilhou e: “Tio, vai ter bichos no meu aniversário?”,  “Vai sim Miguel, você não lembra de mim, mas nos encontramos faz algum tempo no seu aniversário, tivemos alguns animais bem diferentes aqui”, “Tio, como eu não lembro de você? Tá maluco? Eu te dei um trabalhão, agarrei a jibóia e fiquei correndo pelo salão a festa inteira” … Eu realmente fico impressionado com a memória dessas crianças.

Enquanto fazíamos a apresentação o Miguel me ajudou a mostrar os animais para os amiguinhos e ficou o tempo todo me auxiliando manter as crianças calmas. Enquanto ele não estava comigo passou a apresentação cuidando da irmã mais nova, a Laurinha… e quando eu achava que esse garoto não me surpreenderia mais, no final da apresentação ele chegou do meu lado e falou baixinho: “Tio, eu sei que todo mundo não pode mexer nos animais, mas tá vendo aquele meu amigo cadeirante? Será que você podia levar a galinha pra ele colocar no colo?” … Lágrima no olho, nó na garganta… De onde veio tanta sensibilidade? Alguém me explica? Combinamos de levar os animais pro amigo dele conhecer, mas infelizmente o garoto foi embora antes.

Cheio de surpresas o Miguel ainda pegou o microfone e cantou bastante seguro pros convidados… Filho de artistas… artista já é…

Essa foi um pouco da história do aniversário do Miguel, filho educadíssimo e querido da Nívea Stelmann e do Mario Frias, enteado da Ju Frias e irmão da Laurinha 🙂  família mais que querida e linda que eu tive a felicidade de compartilhar dois momentos tão especiais.

Ah, quase esqueci! Como nós estamos mudando toda nossa estrutura de apresentação, pedi para a Dani Prates do Fazendo Poste – Fotografia Infantil fazer o nosso portifólio do novo palco e algumas fotos minhas para material de divulgação. Aí ela me surpreende com esses clicks maravilhosos da família…

Convivendo bem com uma Iguana/ Living in harmony with an Iguana

Nas minhas andanças pelo universo virtual achei um garoto que tem um ótimo relacionamento com seu animal de estimação. Instintivamente ele entendeu que mesmo os répteis podem ter uma relação de carinho quando criados da forma correta. Pedi para que ele fizesse um texto para que pudessemos compartilhar com nossos amigos e seguidores aqui da BEAnimal.

O bem-estar animal dos animais que convivem com os seres humanos deve ser prioridade na relação.

Aqui está o relato do Alan:

“Me chamo Alan Rodrigues Costa, 24 anos, sou de Governador Valadares-MG mas vivo em Lisboa-Portugal já há 4 anos e 5 meses.
Vou falar do convívio com minha iguana.
O nome da minha iguana é Smart e a do meu primo é Green.

Em Junho de 2011, meu primo (Júnio Nunes) ganhou de presente de aniversário uma iguana filhote, com apenas 3 meses de vida, adorei a iguana e no outro dia eu comprei uma pra mim 🙂 (na mesma loja e com a mesma idade).
O irmão de uma amiga minha tem um casal de iguanas, daí ele passou muitas dicas de como cuidar dela, tipo: comida, habitat, o que pode, o que não pode.

Iguana

Iguana

Como ainda era filhote, não sabia se iria interagir comigo, pois era arisca.Os dias foram passando e eles foram crescendo e ficando mais calmos “acostumando com a gente”.

Iguana

Iguana

Iguana

Iguana

No dia que comprei, fiquei muito preocupado por que eu não conseguia vê-la comendo e também sabendo que ela estava estranhando a nova “casa”. A minha iguana ficava junta com a do meu primo em um terrário não muito grande, eles rescendo e o meu “dominou território”, tive que separa-los, comprei um terrário grande pra ela e enfeitei com galhos de árvore, piscininha e como forro eu coloco fibra de côco, natural, orgânico para terrário. Como Portugal prevalece o frio, dentro do terrário tenho 2 lâmpadas, uma para o bem estar e a outra para aquecer.

Iguana

Iguana

Iguana

Iguana

Agora, minha Iguana já tem 2 anos de vida, está grande, bonita e o mais importante, sadia. Tem um terrário enorme que mandei fazer. Fica a maior parte comigo no meu quarto (deixo o aquecedor ligado), ela adora ficar dentro do guarda roupa, não pode ver a porta aberta que já entra. Agora ela fez o seu terrário de banheiro, a coloco lá, depois de alguns minutos ela faz as necessidades e já fica logo querendo sair, batendo as mãozinhas na porta do fazendo o maio barulho com as unhas rsrs.

Iguana

Iguana

Iguana

Iguana

Iguana

Iguana

Dou comida a ela duas vezes ao dia, tenho que colocar a quantidade certa que ela vai comer porque se eu coloco muito ela come tudo de uma vez e fica com a barriga enorme e dura rsrs ela andando com o barrigão é muito engraçado, acho muito bonito.

Um mês depois que comprei minha iguana, meu primo e eu fomos leva-los no veterinário pra sabermos se estava tudo bem com elas e tal, Green ( iguana do meu primo) não comia direito, então a veterinária aplicou uma injeção de vitaminas nela. Eu estava doido pra saber o sexo do meu, sempre achei que o meu era macho e a do meu primo fêmea, por isso que coloquei o nome da minha de SMART e meu primo colocou a dele de GREEN, mas eles ainda eram muito filhotes pra saber o sexo, a veterinária disse que tinhamos de esperar mais um tempo. Mês passado, os levei no veterinário pra realmente saber o sexo deles rsrs adivinha? o meu é fêmea e do meu primo macho, de O Smart virou A Smart e de A Green virou O Green rsrs, o que importa é que eles estão com a coloração adequada, estão bem verdinhos e em excelente estado de saúde 🙂 .

No ano passado, a senhora que mora aqui em casa, acordou de madrugada pra ir ao banheiro e sente um cheiro de queimado, daí ela bate na porta do meu quarto, eu acordo assustado e ela dizendo:

_Alan, a casa da Smart tá pegando fogo. ( essa época ela dormia no terrário ainda)
Eu levantei num só pulo, quando chego lá a Smart no meio daquela fumaça, tadinha, molinha..
A lâmpada de aquecimento ficava em um mini abajur dentro do terrário, daí ela subiu e o abajur virou, assim ficou aquecendo os galhos de árvore que lá estavam, começou a arder e daí a fumaça. A Smart ficou com aquele cheiro de queimado preguinado na pele durante 2 semanas e ainda não queria comer, eu abria a boca dela forçada para introduzir alimento, foi horrível.
As iguanas em geral adoram carinho, principalmente na cabeça, ela fecha os olhos quando começo a acaricia-la.
Tenho que cortar as pontas das unhas dela de 2 em 2 semanas senão fica quase que impossível pega-la, machuca muito a gente, meu braço tá cheio de marcas rs.
Ela adora ficar no ombro, quando vem visitas aqui em casa, todos querem pegar, tirar fotos, mas tem que ser tudo tranquilo, se ficar com apavoramento o animal vai ficar estressado e não vai parar quieto.

Sempre que vou passear com ela na rua, coloco uma coleirinha próprio pra iguana para evitar que ela pula e acontece algum acidente.

Na hora do banho encho um pouco a banheira com água morna e a deixo lá nadando, ela até mergulha um pouco e usa a calda para se movimentar, é bem ágil na água.

Iguana

Iguana

Eu, Alan Rodrigues Costa concordo que a BEAnimal utilize minhas fotos para divulgação do artigo que participei para divulgação de bem-estar animal e aproximação dos animais com os seres humanos.”

 

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

Surfing online I found a boy who has this incredible relationship with his pet. Instinctively he realized that eve reptiles can share a relation with a person, they like to be petted and caressed when raised well. I asked him to write us an article so we could share his experiences with you, BEAnimal followers.

The animal welfare of these pets living with humans must be priority in the relation. Here is Alan´s report:

My name is Alan Rodrigues Costa, I´m 24 years old, from Governador valadares- MG Brazil, I live in Lisbon-Portugal for 4 years and 5 months,

I´ll talk about living with an iguana, his name is Smart and my cousin´s is Green.

June 2011, my cousin (Júnio Nunes) had an baby iguana as bday gift, it had only 3 months, I loved it and by the next day I bought one for me at the same store and by the same age. My friend´s brother has a couple of iguanas and gave me lots of tips to raise the animals well: how to feed, to manage, does and don´ts with an Iguana.

It was a baby, I didn´t know if it would interact with me, it was fearful and angry. Day after day it was growing bigger and becoming more tamed, “getting used to us”.

The day I bought it, I was really worried cause I didn´t see it eat and also I knew she was thinking the new house really different. Both iguanas remained together in small place we built for them, while they were growing mine had a domination behavior over the territory and I had to split them, I bought a big terrarium, put some trees´branchs small swimming pool and on the ground I put some coconut fibers, natural, organic for terrariums. As Portugal is cold weather I put a couple of lights to keep them warm.

By now my iguana is already 2 years old, she is big, beautiful and the most important thing, he is healthy. He has a huge terrarium. He spend most of the day in my bedroom with me, I leave the heater on, he loves to be inside of the closet, can´t see the open door and goes inside. He made his terrarium as a toillet, I put him there, he poops and after that keeps knocking the door to get out and come with me.

I feed him twice a day, I must put the right amount cause she eats too much and stays with a huge belly walking around, I think it is funny and beautiful.

After one month together with the babies, my cousin and I went to the vet to check their sexes and health status, his iguana wasn´t eating properly. The vet injected some vitamins and said we should wait a little longer to know their sexes, they were too small to be sure. Well, time went by and now we know, my iguana is a Male (and i thought it was a female) and my cousin´s is a male (and he thought it was a female)… but again, what really matters is their health status which is excellent.

Last month the lady living with us woke me up in the middle of the night and said there was a burning smell coming out of the place the iguanas sleep:

Alan, Smart´s house is on fire (by this time she would still sleep at his terrarium)

I jumped out of the bed and when I got there Smart was in the middle of the smoke, almost fainting down.. The heater lamp was in a place not very secure and fell over the tree´s branchs I put there, everything was burning after a while, Smart was smelling like fog for a long time, and he didn´t want to eat, I had to open his mouth and put the food inside, it was sad and terrible.

In general, iguanas love to be petted, even more if it is on their heads, they close their eyes when I start petting them. I am supposed to cut their nails every 2 weeks, otherwise it becomes impossible to handle them, hurts a lot and my arms are full of scars because of it. Smart loves to be on the shoulders, when we have visitors in our home everybody wants to take pictures, but the process must be very calm, if people gets nervous Smart doens´t like it and stress out and doesn´t stop moving.

I always go to walks with Him on the streets, put a special harness for iguanas to avoid accidents if he jumps.

Shower time I fill the bathtub with warm water and put him there swimming, he even dive and uses his tail to swim, he is quite agile in the water.

I approve this history to be published at BEAnimal web site as a way to show people how to get closer to their own animals.

Feedback De Uma Aula Virtual de Comportamento de Papagaio

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

 

Após a aula virtual eu envio um email pedindo um feedback da família. Esse foi de longe um dos melhores que eu tive, emocionante e de arrepiar. O comportamento do papagaio melhorou, mas parece que a família realmente ficou feliz. Muito obrigado por essas palavras tão bonitas.

 

Yuri,não sei se vc está online.Demorei para responder seu email,mas não esqueci.

Tudo com o Tutti está melhor!
Os ataques cessaram,nossa consciência em relação ao nosso comportamento,mudou bastante.

Sem a sua aula,nada disso seria possível!

Se vc quiser saber de mais alguma coisa,estou à disposição.

Admiro demais seu trabalho.Te desejo muito sucesso.

Ajudar os animais é maravilhoso.

De quebra,acaba ajudando tb os seres humanos…

Fique tranquilo,está tudo certo.Seu trabalho para nós foi muito útil.

Com sua experiência e dedicação em cuidar dos animais,tenho certeza que muitos tem vivido bem melhor

.

reaproximação

reaproximação

Cartazes Virtuais e Animais Perdidos, Como Fazer?

Com o facebook e a inclusão digital encontramos um novo meio de divulgar os nossos animais quando se perdem. Já tive a experiência de ter que fazer isso com a Bubu quando ela fugiu (veja a história toda aqui: O começo , A esperança , A perda da esperança , o Final Feliz ). Hoje usamos nossa fanpage no facebook para divulgarmos cartazes virtuais compartilhando a possibilidade dos animais serem achados.

Infelizmente nem todos os cartazes podem ser compartilhados por falta de informações. Para facilitar esse processo fiz esse post para que as pessoas possam otimizar suas buscas por seus animais perdidos.

Temos que pensar nesse cartaz como uma campanha de marketing. As pessoas devem sentir vontade de compartilhá-lo. Algumas inforamções NECESSÁRIAS:

Fotografia do animal atual, ou a mais atual que o proprietário tenha, se puder colocar uma foto de frente e uma de perfil ajuda muito. Evite fotografias que seu animal está com roupas ou escondido atrás de alguma coisa. A foto tem que ser do animal e só! Por mais que venha a tentação de colocar ele coberto numa fantasia que esteja muito fofo isso dificulta o reconhecimento dele.

Comente se é macho ou fêmea e se tem alguma raça específica. Lembre-se que existem animais muito parecidos, saber o sexo ajuda.

Telefone de contato, use um telefone celular para contato, nem sempre estaremos em casa para receber a informação. É de extrema importância que você se lembre de colocar o código de área, afinal de contas você quer que seu cartaz percorra grandes distâncias virtuais. Lembre-se que animais perdidos andam muito e podem ser adotados por viajantes. Mais um detalhe muito importante que muitas pessoas esquecem é dizer que a ligação pode ser feita a cobrar, afinal de contas, não sabemos se quem encontrou vai ter créditos para nos ligar.

Dizer a cidade que o animal fugiu é muito importante. Um cartaz virtual pode viajar por muitos estados pelas redes sociais. Coloque junto com essa informação a localização aproximada que o animal foi visto a última vez.

Dê alguma característica psicológica do animal, ele é manso, ele é bravo? Ele não suporta alguma coisa? Isso ajuda a fazer uma ligação entre a característica física do animal achado com a possibilidade de ser o seu bichinho de estimação.

Ele tem microchip? Deveria ter! Caso tenha só mencione esse fato! Não divulgue o número, já é informação demais.

Dizer que tem uma criança triste pela fuga do animal é muito manjado, funciona melhor dizer que você vai dar uma recompensa, mas não divulgue o valor. Mas lembre-se de que existem pessoas má intencionadas nesse mundo, tanto quanto as bem intencionadas. Portanto, essa informação definitivamente não vai ser o que fará seu animal voltar. Tudo depende da boa índole da pessoa que o achou.

Use uma fonte fácil de ser lida e cor preta. Você não quer que as pessoas tenham dificuldade em ver as informações.

Faça tudo de forma simples e sem enfeitar muito. É um cartaz sério e deve ser tratado dessa forma. Se você estiver pensando no Facebook como sua principal fonte de divulgação, pense em usar os padrões de tamanho da foto de capa (849 x 312 pixels), use na sua foto de capa e incentive seus amigos a compartilharem e usarem por um tempo também para te ajudar.

Coloque a data que o animal se extraviou, isso ajuda a termos uma ideia de território percorrido.

Cartaz virtual

Cartaz virtual

Qualidade de Tempo Com Seus Animais / Quality Time When You Are With Your Animals

Treino de animais depende de tempo de qualidade com eles

Treino de animais depende de tempo de qualidade com eles

Hoje em dia com nossas vidas conturbadas, filhos, trabalho, estudos, tudo junto misturado, é melhor escolher passar tempo de qualidade com nossos animais do que passar muito tempo e sem qualidade alguma. Muitas pessoas nos perguntam como conseguimos ter animais tão mansos e treinados na BEAnimal. A Dica é: Passamos tempo de qualidade com eles, fazemos sempre estímulos mentais quando estamos juntos e damos oportunidades de desenvolverem seus comportamentos naturais. Sempre que vamos passear levamos a comida e a água de todos eles para garantir o bem-estar animal e os treinos desses animais é feito sempre com muito reforço positivo, seja em forma de estímulos primários ou secundários. (adestramento de animais , Quality time When You are with your animals)

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

Nowadays, with our crazy life, kids, working, studing, everything put together, no time at all for us, it is better to choose having quality time with our animals than quantity of it and no pleasure between you and your animals. People keep asking us how do we keep so many animals trained and tamed with us, the tip is quite simple: We spend quality time with them, we always give them proper mental stimuly and the choice of displaying their natural behaviors with us. For their time walking on the streets or the beach with us we always take their food and fresh water to assure their animal welfare. The training sessions are kept with lots of positive reinforcement (primiries and secudaries).

Training an animal should be followed by a professional, always use positive reinforcement ! Tranining your bird is easy, we can teach you. Get in touch with us, make an appointment for a class.

Esperança de Achar a Coruja Bubu/ Still some hope to find Bubu, The Owl

Cinco dias após a coruja Bubu (Bubo virginianus) se perder durante uma tempestade no Rio de Janeiro, quando um galho arrebentou a tela do viveiro dela tivemos uma ponta de esperança de achar nosso querido animal. (Still some hope to find Bubu, the owl)

Eu deveria estar jantando com um amigo na Zona Sul no dia 02/02/2013, mas por alguma eventualidade do destino não pude ir. Sem chateações, amigos são pra essas coisas, marcamos e desmarcamos compromissos com naturalidade e sem pressão. Optei por ir fazer compras com uma outra amiga que eu sabia que estaria no mercado. A mesma amiga que me inspirou para dar o nome da Bubu porque são muito parecidas.

Durante as compras recebi o convite para ir tomar um lanche com a família dela que eu não via fazia algum tempo. Já era tarde, aceitei com ressalvas de já terem comido ou estarem dormindo, mas toda a família estava acordada.

Sempre agradável estar com essa família maravilhosa que me acolheu tão bem no RJ. Mas hoje eu estava com muito mais sono do que o normal. Quando o relógio deu meia noite e eu virei abóbora sentado na mesa de jantar resolvi pegar minhas coisas e ir para casa. A Bruna tentava me falar algo sobre fantasia e blocos de carnaval, eu só conseguia pensar na minha cama, no espaço que me separava dela e em não dormir no volante; saí sem prestar muita atenção.

Dezoito andares para baixo e 500 m para chegar no meu carro foram o suficiente para o telefone receber uma mensagem da Danielle: “Yuri, não tenho ficado em casa, mas pedi para o meu pai ficar de olho na Bubu para mim, Ele disse que o dono do bar comentou com ele hoje que tem uma coruja rondando a área faz três dias”.

“Ok Dani, mas é uma coruja muito grande, a casa do seu pai fica distante 5km da minha casa, é bem improvável, mas estou no caminho, passarei lá pra olhar”

“Estou acordada, passa aqui e vamos juntos, de repente o bar está aberto.”

Nos encontramos, fomos até o bar e estava fechado, de madrugada… improvável qualquer notícia da Bubu aquela hora, mas… já estávamos ali e resolvemos passar pela rua do bar olhando para as árvores.

Uma noite de calor, sem sinal de chuva mas com alguns relâmpagos, talvez esse fosse um sinal de que fosse chover… mas cadê as nuvens? Uma família estava sentada à beira da calçada, pareciam simpáticos e sorridentes. Optamos por parar e perguntar: “Oi, nós trabalhamos com animais e educação ambiental com crianças, um dos nossos animais fugiu, uma coruja…” os olhos brilharam, se entreolharam, sorriram: “Nossa, ela estava aqui no poste de luz de casa algumas horas atrás, voou naquela direção”.

Incrédulo eu mostrei o tamanho da coruja: “Ela é desse tamanho, tem certeza?”. Enquanto procuravam confirmação entre eles a filha lembrou: “Mãe, tiramos uma foto”, meu coração palpitou, talvez fosse mesmo, e eu teria uma prova.

Bubo-viriginianus Reacende a esperança de achar a Bubu, foi vista num bairro aqui perto por três dias consecutivos.

Bubo-viriginianus Reacende a esperança de achar a Bubu, foi vista num bairro aqui perto por três dias consecutivos.

Era ela! improvável ser outro animal dessa espécie na região, e a confirmação veio pelo vovô que estava na roda de pessoas: “Meu filho, eu moro aqui há 50 anos, nunca vi um bicho desse”.

A Dani e eu optamos por andar um pouco pela região e conversar com as pessoas: “Oi, tudo bom? Nós trabalhamos com animais… Nossa coruja desse tamanho fugiu, você viu por aqui?” nenhuma resposta positiva e saíamos andando, olhando pra cima e conversando. Imagino o que se passava na cabeça das pessoas: “Meu Deus, que drogas eles usaram? Coruja desse tamanho? Perdida? Eles acreditam mesmo, olha lá, andam olhando pra cima e tudo”. Ossos do ofício passar eventualmente por essas situações e levar alguns amigos nesses barcos furados.

Infelizmente não encontramos a Bubu, mas tivemos uma luz e uma confirmação visual de que está viva até hoje e pode ser que volte para nós.

O curioso para mim foi a sequência de fatos:

1. Eu deveria estar na zona sul e não fui
2. Eu deveria ter feito mercado a tarde e não fiz
3. Aceitei um convite para tomar lanche de madrugada e estando cansado, não é do meu feitio
4. A msg chegou a hora que eu entrei no carro
5. Eu estava no caminho da casa da Dani quando descobri que a Bubu tinha sido vista a noite.
6. Mesmo com o bar fechado decidimos parar.
7. com tantas pessoas na Rua decidimos parar e perguntar para as que tinham fotografado o animal.

Se ela voltará ou se foi só uma maneira de Deus mostrar que ela está bem, não sabemos! Mas qualquer uma das opções eu estou momentaneamente satisfeito.

Obrigado a todos por estarem torcendo para encontrarmos nossa coruja linda, a Bubu.

O Que Fazer Quando Achar Um Animal Perdido? / What should I do if I find a lost animal?

O Que Fazer Quando Achar Um Animal Perdido?A resposta é simples: Caso o animal tenha anilha no pé você deve procurar o IBAMA, Polícia Florestal, INEA, Bombeiros ou se você conseguir ler a inscrição da anilha pode tentar achar no site do IBAMA o nome do criatório que o bicho nasceu. Nesse criatório tem o registro do comprador do animal, endereço e contato. Caso o animal não tenha anilha, pode ser que ele tenha um microchip que só pode ser lido com um aparelho especial que esses órgãos que citei acima tem. Nesse microchip também pode-se encontrar informações sobre os animais, proprietários e outras informações sobre a saúde do animal encontrado. What should I do if I find a lost animal?

Quem acha um animal perdido deve sempre pensar que a família que está sem ele provavelmente está sofrendo. Hoje em dia o animal faz parte do convívio famíliar e é considerado um membro ativo desse núcleo. O animal perdido também está sofrendo na situação que é encontrado. Normalmente ele não fugiu, ele só ficou assustado com barulho ou algum outro evento, bateu asas e voou, ou saiu correndo com medo de fogos de artifícios e não sabem voltar para casa.

Coloque no Rádio que achou o cão, gato, ou calopsita. Os proprietários ficam atentos aos rádios quando acontece esse tipo de desastre familiar.

Procure as clínicas veterinárias próximas à sua casa, mas lembre-se, cães e aves podem percorrer quilômetros quando estão assustados. Eventualmente esse animal que está perto de onde você mora não é seu vizinho.

Lembre-se de que garantir o Bem-estar animal também é mantê-lo longe de MEDO e estar afastado da família que ele faz parte é uma forma de ele estar manifestando esse sentimento desagradável.

Bubu is missing / A Bubu Está perdida

Bubu is missing / A Bubu Está perdida

 

Arara mais velha adotou bebê / Older macaw adopts a baby one

Quando criamos animais da forma correta, oferecendo carinho, atenção, limites e educação, quando eles crescem podem se tornar ótimos aliados na criação de outros animais. Aqui o Rui, (Ara ararauna) uma arara de sete anos de idade adotou o Nando uma arara vermelha (Ara chloroptera) bebê. (Older macaw adopts a baby one)

O Rui passa horas do dia cuidando das penas do Nando e duas vezes por dia ele regurgita para o bebê se alimentar.

Toda aproximação de animais deve ser feita de forma cautelosa e de preferência acompanhada por um profissional.

Se a aproximação for feita de forma errada pode ter desfechos trágicos, por exemplo um animal mutilando o outro (arrancando penas, bico, dedos, ou causando cegueira).

ENGLISH VERSION FOR ENGLISH SPEAKERS

When we raise animals the right way, offering affection, attention, education and limits by the time they grow up they can become great allies raising other baby animals. Here this Blue and gold macaw, Rui, ( Ara ararauna ) a seven-year-old macaw took the responsability of feeding this Green winged macaw Nando (Ara chloroptera) baby.

Rui spends hours every day taking care of Nando’s feathers and twice a day he regurgitates food for the baby.

Any animal approximation should be done cautiously and preferably with a professional together.

If the approximation goes wrong, it could become tragic, e.g. an animal mutilating the other (plucking feathers, beak, fingers, or causing blindness).

Blue and gold macaw with a greenwinged / Arara canindé com arara vermelha

Quando criados com carinho e da forma certa os animais mais velhos pode ajudar na criação de bebês.
When raised in the right way, with lots of love, limits and education older birds can help raising other babies.

O treino ou adestramento de animais deve sempre ser supervisionado por um profissional da área. Lembrem-se de que todo processo deve ser feito com reforço positivo! Treinar sua ave é fácil, nós podemos te ensinar. Entre em contato conosco, agende uma aula.

  • RSS
  • Newsletter
  • Twitter
  • Facebook
  • Flickr
  • YouTube