Esperança de Achar a Coruja Bubu/ Still some hope to find Bubu, The Owl

Esperança de Achar a Coruja Bubu/ Still some hope to find Bubu, The Owl

Cinco dias após a coruja Bubu (Bubo virginianus) se perder durante uma tempestade no Rio de Janeiro, quando um galho arrebentou a tela do viveiro dela tivemos uma ponta de esperança de achar nosso querido animal. (Still some hope to find Bubu, the owl)

Eu deveria estar jantando com um amigo na Zona Sul no dia 02/02/2013, mas por alguma eventualidade do destino não pude ir. Sem chateações, amigos são pra essas coisas, marcamos e desmarcamos compromissos com naturalidade e sem pressão. Optei por ir fazer compras com uma outra amiga que eu sabia que estaria no mercado. A mesma amiga que me inspirou para dar o nome da Bubu porque são muito parecidas.

Durante as compras recebi o convite para ir tomar um lanche com a família dela que eu não via fazia algum tempo. Já era tarde, aceitei com ressalvas de já terem comido ou estarem dormindo, mas toda a família estava acordada.

Sempre agradável estar com essa família maravilhosa que me acolheu tão bem no RJ. Mas hoje eu estava com muito mais sono do que o normal. Quando o relógio deu meia noite e eu virei abóbora sentado na mesa de jantar resolvi pegar minhas coisas e ir para casa. A Bruna tentava me falar algo sobre fantasia e blocos de carnaval, eu só conseguia pensar na minha cama, no espaço que me separava dela e em não dormir no volante; saí sem prestar muita atenção.

Dezoito andares para baixo e 500 m para chegar no meu carro foram o suficiente para o telefone receber uma mensagem da Danielle: “Yuri, não tenho ficado em casa, mas pedi para o meu pai ficar de olho na Bubu para mim, Ele disse que o dono do bar comentou com ele hoje que tem uma coruja rondando a área faz três dias”.

“Ok Dani, mas é uma coruja muito grande, a casa do seu pai fica distante 5km da minha casa, é bem improvável, mas estou no caminho, passarei lá pra olhar”

“Estou acordada, passa aqui e vamos juntos, de repente o bar está aberto.”

Nos encontramos, fomos até o bar e estava fechado, de madrugada… improvável qualquer notícia da Bubu aquela hora, mas… já estávamos ali e resolvemos passar pela rua do bar olhando para as árvores.

Uma noite de calor, sem sinal de chuva mas com alguns relâmpagos, talvez esse fosse um sinal de que fosse chover… mas cadê as nuvens? Uma família estava sentada à beira da calçada, pareciam simpáticos e sorridentes. Optamos por parar e perguntar: “Oi, nós trabalhamos com animais e educação ambiental com crianças, um dos nossos animais fugiu, uma coruja…” os olhos brilharam, se entreolharam, sorriram: “Nossa, ela estava aqui no poste de luz de casa algumas horas atrás, voou naquela direção”.

Incrédulo eu mostrei o tamanho da coruja: “Ela é desse tamanho, tem certeza?”. Enquanto procuravam confirmação entre eles a filha lembrou: “Mãe, tiramos uma foto”, meu coração palpitou, talvez fosse mesmo, e eu teria uma prova.

Bubo-viriginianus Reacende a esperança de achar a Bubu, foi vista num bairro aqui perto por três dias consecutivos.

Bubo-viriginianus Reacende a esperança de achar a Bubu, foi vista num bairro aqui perto por três dias consecutivos.

Era ela! improvável ser outro animal dessa espécie na região, e a confirmação veio pelo vovô que estava na roda de pessoas: “Meu filho, eu moro aqui há 50 anos, nunca vi um bicho desse”.

A Dani e eu optamos por andar um pouco pela região e conversar com as pessoas: “Oi, tudo bom? Nós trabalhamos com animais… Nossa coruja desse tamanho fugiu, você viu por aqui?” nenhuma resposta positiva e saíamos andando, olhando pra cima e conversando. Imagino o que se passava na cabeça das pessoas: “Meu Deus, que drogas eles usaram? Coruja desse tamanho? Perdida? Eles acreditam mesmo, olha lá, andam olhando pra cima e tudo”. Ossos do ofício passar eventualmente por essas situações e levar alguns amigos nesses barcos furados.

Infelizmente não encontramos a Bubu, mas tivemos uma luz e uma confirmação visual de que está viva até hoje e pode ser que volte para nós.

O curioso para mim foi a sequência de fatos:

1. Eu deveria estar na zona sul e não fui
2. Eu deveria ter feito mercado a tarde e não fiz
3. Aceitei um convite para tomar lanche de madrugada e estando cansado, não é do meu feitio
4. A msg chegou a hora que eu entrei no carro
5. Eu estava no caminho da casa da Dani quando descobri que a Bubu tinha sido vista a noite.
6. Mesmo com o bar fechado decidimos parar.
7. com tantas pessoas na Rua decidimos parar e perguntar para as que tinham fotografado o animal.

Se ela voltará ou se foi só uma maneira de Deus mostrar que ela está bem, não sabemos! Mas qualquer uma das opções eu estou momentaneamente satisfeito.

Obrigado a todos por estarem torcendo para encontrarmos nossa coruja linda, a Bubu.

Blog Widget by LinkWithin
Be Sociable, Share!
Equipe BEAnimal

Uma ideia sobre “Esperança de Achar a Coruja Bubu/ Still some hope to find Bubu, The Owl

Sibele ReisPublicado em  12:52 pm - fev 2, 2013

Feliz, muito, muiiito, muiiito, feliz, não sabe como peço a Papai do Céuque cuide dela onde quer que ela esteja e como esta notícia me deixa exultante. Entro e saio de casa e faço para nesse FB, o Neu se não confiasse em mim já estaria achando que teria um amante rsrsrsrs. Sei como vc se sente com essa sequência de "coincidências" quando tudo que eramos para estarmos fazendo n]ao estavamos e o que faziamos se encaixa no que coopera para as informações que recebemos. Thanks God. Já paguei muito mico por causa de bicho tbem rsrsrsrs, mas quem paga minhas contas???? Não tô nem aí, o niver ontem foi do Neu e eu quem ganho o presente, me monte um point de papo com os amigos onde comversou com a tal família hoje ao entardecer e não me saia de lá sem a Bubu please 🙂 . Irei a igreja a tarde e espero quando voltar ser a última vez a aportar no FB em busca da tão esperada notícia "Achamos a Bubu" Yupiiiii

Deixe sua mensagem

  • RSS
  • Newsletter
  • Twitter
  • Facebook
  • Flickr
  • YouTube