Cuidados ao Adquirir um Animal de Procedência Desconhecida

Cuidados ao Adquirir um Animal de Procedência Desconhecida

Quando adotamos animais sem saber a procedência deles sempre temos riscos dentro de casa. Nós não sabemos o que esses seres gostam ou deixam de gostar, o que eles tem raiva ou experiências ruins em suas vidas.

Por essa razão temos que ter muito cuidado com as experiências novas que se apresentam na vida em conjunto com esse novo membro da família.

Sou um “adotante” confesso de muitos animais que passaram na minha vida e não me arrependo disso. Todos me deram muita felicidade durante o tempo que passamos juntos.
Vou relatar a última experiência que tive, que não foi tão agradável. No meio da minha última mudança eu olho um cachorro perdido na rua. O animal era IMENSO e estava nitidamente pronto para ser atropelado. Resolvi por impulso levá-lo para a casa antiga.

Separei ele dos animais no primeiro dia. Segundo dia a Maria Clara (a galinha) resolveu escapar pra junto do cachorro. Ele nem cheirou, ficou tranquilo… logo depois o Lino (o gato) resolveu sair de casa… E o cachorro nada de atacar o gato. Achei ótimo, fiquei tranquilo, terminei a mudança e já faz um mês que ele protege a casa e todos nós. Ele é muito bravo quando chega gente no portão.

Um mês depois o portão ficou sem trava e o cachorro do vizinho resolveu entrar. Foi praticamente uma carnificina dentro do quintal da minha casa. Eu tentei fazer o Cachorro (ele chama cachorro mesmo) soltar o coitado do vizinho, mas não deu certo. Cena perigosa. Eu de sunga, dois cachorros se atracando, nada na mão pra separar os dois com segurança. A única saída que vi foi sufocar o Cachorro (o meu) com um golpe mata-leão, correndo o risco da agressividade ser redirecionada contra mim e eu ficar sem rosto… Tentei fazer da maneira mais segura possível e graças a Deus tudo deu certo. O Cachorro soltou o vizinho, que por sua vez saiu correndo e não se machucou muito, graças a minha intervenção. Eu fiquei tremendo por mais de 30 min. E tudo voltou ao normal. O curioso é que enquanto tudo isso acontecia, minha galinha estava olhando, o gato do outro lado e as araras gritando.

Fiquem sempre atentos às nuances de comportamento e lembrem-se, não é porque um animal se da bem com um que vai se dar bem com todos. Cuidado com crianças, evitem que elas andem com objetos que os animais possam querer (comida, brinquedos). Atenção especial na hora da alimentação, principalmente com cães, eles podem ser animais possessivos e ficarem agressivos somente nesse momento. Cuidado com brinquedos e ossos. Atenção às demonstrações de medo, podem virar eventos de agressividade.

É importante ressaltar que depois que essa fase de adaptação acontece, os animais adotados parecem ter uma gratidão, carinho e dedicação à família que eu não vejo em outros animais. Isso vale a pena. Portanto, participe de campanhas de adoção. Ajude um animal sem casa.

Blog Widget by LinkWithin
Be Sociable, Share!
Equipe BEAnimal

Deixe sua mensagem

  • RSS
  • Newsletter
  • Twitter
  • Facebook
  • Flickr
  • YouTube